Filmes de qualidade ligados à magia e ao sobrenatural, que nos façam refletir e sonhar.
Bem-vindo à seção Vídeo Zen. Todo mês, dicas transcendentais de filmes em VHS e DVD pra você se abastecer em sua locadora favorita.

A Flauta Mágica

Mozart esotérico?
Mozart legou à humanidade uma música que muitos qualificam como resultado de inspiração divina.
De fato, ao compor, no fim da vida, a ópera "A Flauta Mágica", o compositor estava mais do que nunca afinado com o lado misterioso, religioso e sobrenatural da vida.
Isto porque Mozart, que fazia parte da maçonaria, inspirou-se em mistérios religiosos do antigo Egito, em ideiais de fraternidade e em ritos iniciáticos ocidentais, para compor a música desta que é uma autêntica ópera esotérica.
O cenário e os figurinos refletem isso: templos, pirâmides, símbolos egípcios e maçônicos abrigam sacerdotes, príncipes, damas misteriosas e entidades mitológicas.
A história trata da jornada pessoal do Príncipe Tamino, que logo no começo, é atacado pela serpente Leviatã - no caso simbolizando a escuridão.

Socorrido por três damas, é desafiado por elas a resgatar bela princesa levada pelas forças do mal. Recebe uma flauta com poderes mágicos para ajudá-lo.
Começa aí uma aventura onde, mais do que bravura, Tamino deve demonstrar algumas qualidades essenciais a um autêntico iniciado: domínio de si, persistência e humildade. Como prêmio: a mão da princesa e acesso simbólico à imortalidade.
É claro que a parte romântica é importante. O encontro com a Princesa Pamina supõe uma união matrimonial posterior.
Mas, o mais importante é a mensagem sempre presente no libreto (texto) da ópera: a necessidade de conquistar sabedoria e vencer as trevas (ignorância).
Para tanto, é necessário afirmar-se sobre as tentações materiais e crer no poder superior dentro de si.
O seguinte trecho, cantado pelo coro de sacerdotes, exemplifica bem a mensagem da ópera:
"Quando a virtude e a justiça cobrirem de glória a grande via, a terra será como os céus, e cada mortal como um deus" Em busca de evolução interior Tamino e Pamina tem que enfrentar duras provas materiais, envolvendo os quatro elementos: terra, ar, água e fogo. Ajudando-se mutuamente, descobrem que as coisas nem sempre são o que parecem.
Zorastro, o raptor da princesa, tido como perverso, é bom e sábio. A mãe da princesa - a famosa Rainha da Noite - , apresentada como boa e ultrajada, encarna qualidades baixas como vingança, sede de poder e intolerância.
Em sua aventura, os jovens são auxiliados por Papagueno, uma boa alma, mas um tanto simplória que acaba também encontrando sua fatia de evolução.

Só que devido à seu pequeno grau evolutivo, ainda sente-se recompensado pelos bens e conquistas materiais.
Uma das partes mais importantes é quando Tamino, cada vez mais amadurecido, encanta animais selvagens com o som de sua flauta, exemplificando o domínio do ser humano sobre os instintos animalescos. "A Flauta Mágica" diverte e agrada com sua música, mas apresenta acima de tudo, de forma brilhante, os conflitos, dúvidas e belezas da jornada interior que todo ser traz dentro de si em busca de sua iluminação.

Existem diversas versões em VHS e DVD, com vários artistas de renome.
A coluna recomenda qualquer versão com legendas em português e que tenha Luciana Serra como Pamina e Plácido Domingo como Tamino.
Ou as versões tendo à frente os maestros Herbert von Karajan ou James Levine.
Que a "Flauta Mágica", composta por Mozart em 1791, encante e toque seu íntimo para sempre.