A Semana

Considerando que são necessários sete dias, aproximadamente, para a Lua ir de uma fase a outra, acredita-se que esse foi o motivo para a semana ter sete dias .Esta divisão era, ainda na antiguidade, quase universal. Na Roma antiga era chamada “Septmana”- sete manhãs. Os babilônios talvez tenham sido os primeiros a utilizá-las. Eles deram como nomes desses dias os mesmos dos planetas que conheciam (os cinco planetas visíveis a olho nu que conhecemos hoje, acrescidos do Sol e da Lua). Esta prática, muito antiga, já era usada pelos babilônios. Foi adotada pelos romanos e outros povos europeus influenciados por estes.

A língua portuguesa não dividiu os dias segundo o nome dos planetas, porque no começo do Cristianismo a Páscoa durava uma semana, sendo o trabalho reduzido ao mínimo possível e o tempo destinado exclusivamente a orações. Esses dias eram os “feriaes”, ou seja, feriados. Para enumerar os “feriaes”, começou-se pelo sábado, como os hebreus faziam. O dia seguinte ao sábado seria o feria-prima (domingo), depois seria o segunda-feria, e assim por diante. O sábado origina-se de Shabbath, dia do descanso para os hebreus.
O imperador Flávio Constantino (280-337 d.C.), após se converter ao Cristianismo, substituiu a denominação de Dies Solis ou Feria-prima para Dominica (dia do Senhor), que por sua vez foi adotada por povos latinos.