Quiromancia, conceito moderno & o tempo em sua mão

A ilustração mostra o tempo dos acontecimentos e a perspectiva de vida da pessoa, que vai se formando ao longo da vida.
A Quiromancia é estudo do destino através da leitura das linhas das mãos. Com o objetivo de desvendar potenciais ainda não utilizados, levando as pessoas a se conhecerem melhor e a vivenciarem o seu destino.

Modernamente, o conceito de jogos divinatórios mudou, com o fundamento de Jung da Sincronicidade.
Significa que haverá uma correspondência entre o que sucede em nós e o que nos sucede, fora de nós. As provações, são formas de atingir o crescimento interno.

O inconsciente Junguiano é luminoso, e estabelece um elo com o mundo externo. É, ou anuncia o divino em nós.
O Inconsciente Coletivo e os arquétipos, são o engate do homem com o Cosmos, com o que aconteceria de qualquer forma movido por uma força Superior.

Previsões fatalistas foram substituidas por um enfoque psicológico. Sabe-se, agora, que os jogos divinatórios revelam a psique mais profunda do indivíduo. E o futuro é determinado por nossas atitudes no presente, que projetam uma linha de força que provoca os acontecimentos.
Exemplos de análise da personilidade através das mãos
  • Pessoas que gesticulam muito são expressivas, empolgadas, têm inteligência rápida e querem com os gestos complementar seu racicínio.
  • Pessoas com as mãos paradas são o inverso. Apáticas, introvertidas, raciocínio lento, sem vitalidade ou emoção.
  • As mãos que suam, denotam nervosismo
  • As enxutas indicam calma.
  • Gestos bruscos representam rudeza,
  • Gestos suaves elegância e educação.
  • Quem por hábito esconde suas mãos dos outros (costas, bolsos, embaixo de casaco),esconde seus sentimentos.
  • Quem sempre usa o indicador para se expressar, gosta de mandar.
  • Os que ao pegarem um objeto o dedo mindinho fica separado e mais alto, se interessam por ciências ocultas.
  • Um aperto de mão forte é sinal de auto-confiança, enquanto os que só dão as pontas dos dedos, são pessoas falsas, escorregadias, que não querem se comprometer.