Juízo Final

O Juízo Final é o encontro com a própria consciência. Quando a alma desencarnada chega ao Plano Manas, tem a capacidade de julgar sem contemplação, e muitas vezes com horror e estupefação, as atitudes que teve em sua vida na Terra.
Ao individualizar-se o homem ganha o discernimento e o corpo espiritual imorredouro, a alma, que é a imagem e semelhança de Deus.
Quando se morre no Plano Físico, uma avaliação tem que ser feita do aprendizado evolutivo, das qualidades adquiridas pela personalidade que se viveu na última encarnação. É o tão temido Juízo Final.
Cada um é seu implacável Juíz.
Neste momento se , planeja uma forma de redimir os atos e omissões numa nova personalidade . Só assim se terá a oportunidade de concertar os erros e omissões. É quando os Carmas e Darmas são colocados na balança e determinam a próxima existência física.

Então nos relacionaremos de novo com pessoas que foram importantes, pelo bem e pelo mal, em estórias vividas, cobranças e pendências não concluídas ou grandes amores. Não existe acaso, nem atos escondidos. Tudo que se faz, melhor ou pior, gera uma reação e o resultado imediato está na determinação assumida neste Plano Manas ou Juízo Final de uma nova encarnação programada, com o destino baseado em resolver os problemas da última vida.
Somos na realidade um somatório de todas as personalidades que já encarnamos na Terra.