ÁRVORE DA VIDA PLANETÁRIA

Inserida na Cabala, a Árvore da Vida é simbólica do homem, contendo todo o Cosmos.
O conceito de que tudo que está em cima está em baixo é a máxima da interpretação cabalística do Velho Testamento.
Representada por 3 triângulos invertidos: o superior significando a Trindade Divina, e os inferiores o homem na Terra.
Esta Trindade também dá qualidade ao homem: O Pai a vontade, o Filho o amor e o Espírito Santo a inteligência.


A Árvore da Vida se compõe de 10 globos, as Séfiras, que podem ser representadas pelos Planetas do Sistema Solar, já que eles são os energizadores dos seres da Terra.
No vértice do triângulo inferior, a séfira da Terra, com sua energia telúrica dando ao homem a chance de manifestar seu livre arbítrio e conseguir evoluir. Simbólica também do nascimento humano.
Os alicerces do templo, as 2 séfiras que formam o triângulo inferior, são: Mercúrio à esquerda e Vênus à direita. Mercúrio cuidando do intelecto e Vênus do corpo e da beleza.
Mercúrio se comunicando e Vênus sentindo.
No outro vértice do triângulo está o Sol, no centro da Árvore energizando e dinamizando a vitalidade a vontade e a realização. Entre o Sol e a Terra a séfira com a Lua, representando as emoções e a fertilidade, o complemento feminino indispensável para a vida.

Formando a base do triângulo central com o Sol, à esquerda Marte, com seu poder de lutar para obter as coisas terrenas , e à direita Júpiter com a sua energia expansiva, abrindo as portas às oportunidades.
Até estes dois triângulos o homem está tomando consciência de seus atos para então com o triângulo superior, interagir com a inconsciência, isto porque os 3 planetas destas séfiras são os mecanismos das estruturas do Ego.
Saturno à esquerda, o Senhor do Tempo, com serenidade e rigidez, exigindo que o homem aproveite a encarnação para melhorar. Urano à direita e Netuno no topo, são os 3 Planetas transcendentais que levam o homem a interligar-se com o Pai, o Filho e o Espírito Santo, com a sua vontade, o seu amor e a sua inteligência.
Obs: Como Plutão foi descoberto recentemente não figura na cabala planetária. À nível energético sintetiza as energias da concepção, nascimento e morte, o ciclo de vida do homem na Terra.