A internauta Enildes Alcântara, do Rio de Janeiro, nos enviou o seguinte relato.

MÓVEIS QUE SE MOVEM

"Desde criança até hoje, no mesmo instante em que adormeço costumam acontecer situações intrigantes e atemorizantes como a que passo a relatar. Quando eu era adolescente, fui acordada por um barulho muito alto.
Saindodo meu quarto, verifiquei que era o som da máquina de costura de metal, portátil - na qual durante o dia eu trabalhava fazendo apliques em camisetas (fitinhas e rendas) - sendo arremessada com força, de grande altura ao chão de mármore do hall da minha casa.
Somente eu acordava com essas coisas, mas naquela noite acordei uma amiga que também passou a ouvir. Assim que o som da máquina de costura parou, começou o som bem alto das portas de duas geladeiras antigas sendo abertas e fechadas, com muita força, várias vezes e bem depressa. Imediatamente após, surgiram barulhos das fôrmas de gelo, com base de metal, soltando os cubos numa mesa de metal, que ficava em frente às geladeiras.
Amedrontadíssimas, nos deitamos na mesma cama e passamos a rezar para que o que quer que fosse nos deixasse dormir em paz. Neste momento ouvimos barulho na maçaneta (a porta estava aberta), e logo depois alguma energia deu três pancadas fortes na "saia" da cama abaixo de nossos pés.
Ainda não satisfeitas, as energias que vibravam naquela casa e que tanto nas assustavam nos deram a impressão, pelo som produzido, de um dedo passando com pressão em uma superfície revestida com plástico entre nós duas.
Na realidade não havia nenhum plástico, pois a cama estava revestida de lençol de pano.
Ficamos sem entender e até hoje intrigadas com o motivo para todo aquele tormento."

Direito Reservados P.Jota Produçõe